quarta-feira, 20 de abril de 2016

Dia Nacional do Livro infantil - 18 de Abril

Colorização por Jônatas Holanda
 O escritor paulista Monteiro Lobato nasceu na cidade Taubaté em 18 de Abril de 1882, não por acaso essa data foi escolhida, 120 anos depois, para ser o Dia Nacional do Livro Infantil.

 Lobato foi militante no desenvolvimento da extração petrolífera na Brasil no século XX, formou-se em direito, era crítico de arte e pintor nas horas vagas. Começou escrevendo literatura adulta, lançando livros consagrados como Urupês e Negrinha, mas foi na literatura infantil que se destacou. Em 1920 lançou A menina do narizinho arrebitado, que contava as aventuras de Lucia e sua boneca Emília que ganhava vida durante um passeio ao reino das águas claras. O enorme sucesso do livro levaram a publicações de Fábulas de Narizinho (1921), O Saci (1921), O Marquês de Rabicó (1922), A Caçada da Onça (1924), O Noivado de Narizinho (1924).

Ilustração de Voltolino
 Lobato inovou não só pela maneira de escrever mas também pela distribuição de suas obras. Seus livros eram vendidos em padarias e distribuídos em escolas publicas, e mesmo durante a repressão, quando muitos exemplares de suas histórias infantis foram queimados numa fogueira por "induzir as crianças ao um comportamento rebelde", sua popularidade já estava tão em alta que  A menina do narizinho continuou na lista de best sellers da época. Com o criador do Sítio do picapau amarelo, a criança brasileira finalmente passou a ser tratada como um ser pensante além de ganhar histórias que mostravam a cultura nacional, uma vez que todo o material infantil no século XIX era formado por fábulas europeias.

 Preso inúmeras vezes por seu comportamento rebelde, Monteiro Lobato também criou incontáveis fans na Argentina durante seu período de exílio.

 Ainda hoje a coletânea de suas obras infantis influencia os jovens brasileiros, fazendo que todos em algum momento acreditem no seu universo de faz-de-conta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário